terça-feira, 13 de julho de 2010

Mulher ciumenta.

Pessoal,
tava pensando no que fazer como postagem hoje, até que me deparei com o texto da Gisela Rao. no blog Vigilantes da Auto Estima. (www.vigilantesdaautoestima.zip.net)
Quero pedir licença a Gisela e a vcs para fazer do post dela o meu. Quero antes de tudo lembrar que eu tb sou uma MADA (Mulheres que Amam Demais).

"O oposto de amor é egoísmo (e não ódio)

Alguém aqui viu o filme "Corra, Lola, corra?", onde fica nitidamente claro que podemos escolher o final de "n" coisas na vida da gente? Ok, vou falar nele já, já...
K.J. fez aniversário nesses dias. Ele é de Curitiba e a parte 1 era jantar com ele, a irmã, a tia e uma amiga no restaurante indiano. A parte 2 era o casal ir para casa e beber champanhe com cerejas à velha e boa luz de velas. A primeira parte foi como planejamos, com direito a ganhar uma calça linda e um pen-drive do Darth Vader ;)

A segunda, não. Quando estávamos indo embora do restaurante chegou uma antiga e querida amiga também de Curitiba. K.J. curte uma boa cerveja, a amiga também, então fomos para uns dos bares da Vila Madalena. Eu não bebo, quer dizer, nunca passo do segundo copo porque não gosto de ver o mundo girar mais do que já roda. Fora isso, eu estava com uma lente de contato me perturbando bem os olhos. Às 3 da manhã eu decidi ir para casa (a um quarteirão do bar!). E deixei os dois bebendo e se divertindo para valer. Eles estavam muito engraçados mesmo zuando com o povo no bar.

Eu sei que só este depoimento já vai fazer muita(o) Vigilante ficar de cabelo em pé. Mas vou continuar e é aí que entra o filme "Corra, Lola, corra". Eu poderia escolher o final 1- Vou fazer papel de vítima, me sentindo rejeitada, e chorar porque a noite não foi como eu queria. Ou o final 2- Eu posso dar um ataque de ciúmes e quebrar a garrafa de champanhe na cabeça dele, estragar a sua noite e a minha. Ou o final 3- Eu poderia ficar me mordendo de ciúmes e me esconder atrás da árvore para espionar. Ou o final 4- Eu poderia entender que era o aniversário dele e não o meu e que amor é o oposto de egoísmo e deixá-lo curtir à vontade, ir para casa, comer um pouco das cerejas e esperar ele voltar feliz e contente. Afinal, estou encontradamente apaixonada por ele e não perdidamente.

Quando a gente está com a autoestima de tijolos escolhe, sem pestanejar, o quarto final e foi o que fiz. Duas horas depois, eu ouvi (aos berros pela janela) uma das declarações de amor mais lindas e sinceras. Depois, os dois subiram aqui em casa bebaços, me alopraram o quanto puderam e eu nunca ri tanto na minha vida. Antes que alguém diga - COMO VOCÊ CONSEGUE iSSO? - já vou contar.

Sempre sofri de ciúmes medonho que fazia com que eu me machucasse - saindo que nem louca de bicicleta - ou estragasse a minha relação vendo coisas que nem existiam (e estou falando de 3, 4 anos atrás). Como curei essa doença?

1- À medida que fui trabalhando meu complexo de rejeição fui diminuindo o medo da perda, portanto o ciúme diminuiu também (a terapia foi fundamental e também a Facilitadora de Inteligência Potencial Lucia Rodrigues: luciarodrigues11@hotmail.com - porque me ajudou a descobrir qual era a raiz dessa coisa, dessa crença que gerava o ciúme).

2- Sofri tanto no amor, mas tanto, mas tanto que automaticamente parei de colocar tantas fichas nele. Como eu disse no post anterior o meu namorado é um dos planetas da minha órbita e não o centro do meu universo.

3- O budismo me ajudou a entender melhor a impermanência das coisas e portanto a não me apegar tanto a elas. Como fazer isso? Fazendo e curtindo outras milhares de outras coisas nessa grandiosa vida (com grana ou sem).

4- Quando a gente encontra nossa própria liberdade ama e valoriza a do outro. Ver meu amor feliz no dia do seu aniversário, depois de ter passado tanto perrengue no passado me deixa muito, muito feliz. Hoje em dia tenho o mesmo prazer saindo com minhas amigas ou com meu amore.

5- K.J. não me faz feliz. Ele me faz mais feliz. Eu já estava bem contente antes dele e o povo aqui é testemunha (porque decidi que assim seria mesmo sem amor e sem emprego). Se em tese não preciso de K.J. para me fazer feliz, logo não tenho medo de perdê-lo (o que não quer dizer que não vou chorar como uma hiena pelo avesso no dia em que nossa história acabar)

6- Hoje em dia me acho uma das pessoas mais legais que já conheci (hehehe), portanto, porque vou achar que outra mulher é melhor que eu?Menefreguei!

Eu gostaria imensamente que este post ajudasse a todo mundo aqui que sofre com a doença do ciúme. Eu sei a desgraça que é e como ela traz infelicidade à relação e ao casal. Antes de mais nada, o ciumento é um tremendo egoísta, auto-referente, que acha que a sua felicidade está em controlar o outro. Pergunta: isso é amor? Resposta: não! Mas a boa notícia é que tem cura :)

Até amanhã e seja também um Vigilante da AutoEstima! "

10 comentários:

Gustavo disse...

Nossa! amei este post. Muito show, pena que seja tarde, acho que não irá fazer tanto efeito, pelo menos para continuar comigo. kkkkkkk, sei lá neh.

Marcia Pinho disse...

Oi Madá, tá boa, mulher?

parabéns pelo seu blog! Os posts são ótimos! Aliás, ontem mesmo escrevi um post sobre nossa mania de ver "chifre em cabeça de cavalo" e na nossa tb!
Indiquei um selinho para seu blog, espero que vc goste. Tá lá no Mamãe Recomenda. Se vc tiver afins, dá um pulinho lá para pegar! Bjocas para vc!

disse...

muuuito bom o texto... masé dificil d aplicar viu... hj estou mt melhor do q ja fui...

Mas lendo o texto q percebi que ainda tenho mtaaaaa coisa pra melhorar... pq acho q no fim das contas eu ia escolher um dos finais tragicos, e nao esse q ela escolheu... foda
rsrs

bjs!

Andreza disse...

Madar, achei muito interessante você postar sobre esse assunto que acaba destruindo tantos relacionamentos, como tive muitos problemas num relacionamento anterior por ter sido traída inúmeras vezes, acabou me trazendo uma grande insegurança nesse relacionamento atual que vivo. Porque eu fico com medo de perdê-lo, me sinto sozinha, gostaria de ficar ligando todo momento,fico imaginando que ele possa encontrar alguma menina mais nova e mais bonita que eu.
Sinto que tenho grande medo de perdê-lo.

Andreza disse...

Madar, achei muito interessante você postar sobre esse assunto que acaba destruindo tantos relacionamentos, como tive muitos problemas num relacionamento anterior por ter sido traída inúmeras vezes, acabou me trazendo uma grande insegurança nesse relacionamento atual que vivo. Porque eu fico com medo de perdê-lo, me sinto sozinha, gostaria de ficar ligando todo momento,fico imaginando que ele possa encontrar alguma menina mais nova e mais bonita que eu.
Sinto que tenho grande medo de perdê-lo.

Andreza disse...

Madar, achei muito interessante você postar sobre esse assunto que acaba destruindo tantos relacionamentos, como tive muitos problemas num relacionamento anterior por ter sido traída inúmeras vezes, acabou me trazendo uma grande insegurança nesse relacionamento atual que vivo. Porque eu fico com medo de perdê-lo, me sinto sozinha, gostaria de ficar ligando todo momento,fico imaginando que ele possa encontrar alguma menina mais nova e mais bonita que eu.
Sinto que tenho grande medo de perdê-lo.

Andreza disse...

Madar, achei muito interessante você postar sobre esse assunto que acaba destruindo tantos relacionamentos, como tive muitos problemas num relacionamento anterior por ter sido traída inúmeras vezes, acabou me trazendo uma grande insegurança nesse relacionamento atual que vivo. Porque eu fico com medo de perdê-lo, me sinto sozinha, gostaria de ficar ligando todo momento,fico imaginando que ele possa encontrar alguma menina mais nova e mais bonita que eu.
Sinto que tenho grande medo de perdê-lo.

Valentina, uma mulher que fala disse...

Olá, adorei seu texto e vou indicá-lo em meu blog, na sessão sobre Inter-relacionamento femininos (http://pravocemulheratual.blogspot.com/p/questoes-sobre-inter-relacionamentos-da.html).
Parabéns pelo texto
Valentina
http://pravocemulheratual.blogspot.com

Valentina, uma mulher que fala disse...

Quem AMA homem demais NÃO AMA A SI MESMA=ESTÁ DOENTE E PONTO. TRATE-SE!

Valentina, uma mulher que fala disse...

AMOR DEMASIADO PELOS OUTROS É FALTA DE AMOR À SI MESMA E FALTA DE OBJETIVO NA VIDA.
HTTP://LONGEDECHUPINSVIOLENTOS.BLOGSPOT.COM
AMO O SEU BLOG
PARABÉNS